RONDONOTICIAS domingo, 7 de março de 2021 - Criado em 11/10/2001

Caso de deputado Lebrão recebendo propina ainda sem resposta

Vale ressaltar que Lebrão foi acusado pela PF de ter utilizado carro oficial para ir receber a propina


ROAOVIVO

Publicada em: 20/01/2021 16:27:29 - Atualizado

PORTO VELHO-RO: Ao final dessa semana completará cinco meses que o deputado estadual José Lebrão foi flagrado em vídeo pela Polícia Federal – PF, colocando maços de dinheiro oriundos de propina de serviços dentro de uma sacola de lixo em um escritório localizado na cidade de Ji-Paraná.

Lebrão sequer chegou a esclarecer publicamente as acusações apresentadas pela Polícia Federal que levaram à prisão de sua filha, ex-prefeita da cidade de São Miguel do Guaporé, Gislaine Lebrinha.

Processo de cassação

Uma instauração de processo de cassação do mandato de Lebrão foi aberta na ALE/RO, porém a morosidade travestida em nome de ‘tramites legais’, pode deixar Lebrão gozando muito tempo do mandato e da cara da população rondoniense.

O presidente o Conselho de Ética é o deputado estadual Ismael Crispim, que afirmou estar seguindo todas as formas dispostas por resolução da própria ALE/RO, sendo que o deputado Lebrão tem o limite de dez sessões do Conselho para apresentar sua defesa.


Em quase cinco meses foram seis sessões, o que deixa o deputado Lebrão com uma margem de tempo garantida até a primeira quinzena do mês de março para que finalmente tenha o pedido julgado pelo Conselho de Ética.

“Estamos cumprindo tudo aquilo que está disposto no regimento da Casa. Se o deputado não apresentar a defesa dele até a conclusão de dez sessões após a abertura do processo, será nomeado outro parlamentar para realizar sua defesa”, afirmou Ismael Crispim.

Vale ressaltar que Lebrão ainda foi acusado pela Polícia Federal de ter ido até o escritório onde foi gravado recebendo o dinheiro criminoso utilizando o carro da Assembleia Legislativa.

Salário em dia

Enquanto isso, Lebrão continua usufruindo suas prerrogativas de legislador estadual, uma delas é a de que não pode ser preso, outra é o salário e benefícios do cargo. Apenas no mês de dezembro o deputado levou de pagamento pelos serviços prestados ao estado de Rondônia mais de 50 mil.


MATÉRIAS - DENÚNCIAS - VÍDEOS - FOTOS

Fale com a redação do Rondonotícias redacao@rondonoticias.com.br