Publicado em 15/02/2014 12h08 - Atualizado em 15/02/2014 12h09

OPINIÃO DE PRIMEIRA

TINGA OS PERDOARÁ, POR SEREM ANORMAIS. ELES NÃO O PERDOARÃO...

Lamentável, desumano, um acinte à civilidade e ao esporte. Se poderia adjetivar muito mais o tenebroso episódio, praticado por um grupo de peruanos, contra o jogador Tinga, na triste noite da última quarta-feira. Cada vez que o craque pegava na bola, no jogo do Cruzeiro de Minas contra o Real Garcilaso, do Peru, na cidade de Huancayo, muitos torcedores começavam a imitar um macaco. É a prova que esse tipo de gente (doentes sociais), existe em todos os cantos do planeta. Russos anormais já tinham feito algo parecido com o jogador Roberto Carlos, quando torcedores de um clube adversário ao dele jogaram bananas no gramado. O jogador saiu de campo e o caso se transformou numa crise para o futebol russo. O racismo ainda é latente em vários países, até aqui. Mas no Brasil melhorou  e nossa legislação é duríssima contra quem o pratica. Mas nossos vizinhos sul americanos ainda não estão  no mesmo  tom. Alguns países ainda praticam o racismo, mascarado de várias formas, mas, lamentavelmente, continuam indo na contramão dos avanços das sociedades evoluídas.

O episódio Tinga merecerá, sim, muitos protestos e denúncias. A presidente Dilma lamentou profundamente o caso.  Ela está certa. Seu governo também vai protestar com veemência, contra essa minoria idiotizada,  que põe para fora suas frustrações e anomalias, agredindo pessoas por causa de sua cor, religião, sexualidade, estágio de educação. O jogador, amado pela torcida brasileira, vem recebendo tantas demonstrações de carinho, que certamente amenizam um pouco sua dor, mas não a extermina. Sempre ficará em seu coração de craque e cidadão exemplar, essa triste mancha de aloprados criminosos sociais. Tinga os perdoará por serem anormais. Eles jamais o perdoarão por sua cor negra. Eles são os animais. Tinga é o cara do bem...                                                                                                                                              

PEDRA NOS ÔNIBUS

Está bombando nas redes sociais, um pacote de fotos de ônibus das empresas de transporte coletivo de Porto Velho, cheios de pedras enormes, ao invés de levar passageiros. As pedras são recolhidas por funcionários - motoristas e cobradores - e colocadas nos enormes buracos que existem em algumas ruas da cidade, para que os ônibus possam circular, mesmo que em condições precárias. Cenas que, em qualquer outro lugar do mundo, causariam indignação. Mas que, em Porto Velho, cidade onde tudo o de inusitado acontece, já não surpreende mais ninguém...

HORA DA AÇÃO

Como a Prefeitura da Capital recebeu na última quarta, ao menos parte do maquinário que comprou para realizar obras de recuperação da cidade, espera-se que, ao menos onde não haja inundação, os serviços comecem imediatamente. A população não aguenta mais tantos problemas, sujeira, buracos, alagações, falta de infraestrutura e outras deficiências crônicas. Está na hora da Prefeitura mostrar serviço e começar já algumas melhorias. Porque, do jeito que está, não há mais quem suporte.

"SÃO LULA"

Há alguns meses, nessa mesma coluna, se escreveu que o PT, para ter chance de se manter no poder, para ficar mais um mandato pelo menos à frente do país, provavelmente teria que apelar ao ex-presidente Lula. Com Dilma sem a popularidade do seu mentor e com o seu governo enfrentando grandes problemas, só mesmo "São Lula" para que não haja risco dos petistas terem que entregar o bastão. Mesmo com uma oposição pífia, quase ridícula, Dona Dilma pode correr riscos. Daí, Lula será o candidato.

DIAS INFERNAIS

Desde meados do ano passado, os Donadon vivem inferno astral. Nessa semana, Natan foi cassado num, evento histórico, por quase  470 votos. Pela primeira vez o voto foi aberto numa sessão em que se discutia o mandato de um parlamentar. Também nessa semana, o irmão dele, Marcos Antonio Donadon, que está preso, só que em Rondônia, sofreu nova derrota na Justiça. O juiz da Vara de Execuções Penais negou pedido dele para estudar fora da cadeia. A crise está mesmo de amargar, para a tradicional família do sul do Estado.

CRUELDADE E IMPUNIDADE

Mas tem decisões da Justiça que não se pode entender. Um cruel assassino, que matou a pauladas uma mulher indefesa, está solto, nas ruas, como se fosse um cidadão de bem. Cleber Miguel da Silva é suspeito de ter matado Jaqueline Naiara Costa Guedes, irmã do conhecido repórter e apresentador Rosinaldo Guedes. Miguel vivia espancando a mulher e a matou a pauladas, com requintes de crueldade. Como não  foi preso em flagrante, está solto. Lamentável!

RECORDE MOLHADO

As enchentes são a grande preocupação do Estado inteiro, nestas alturas do inverno amazônico. Já há quem jure que a cheia do rio Madeira será a maior de todos os tempos. Jacy Paraná e grandes áreas próximas à Guajará Mirim já estão inacessíveis. A água já passa por cima da BR 364 emj alguns trechos e da BR 425, na região de Guajará. Várias cidades foram alagadas, Centenas de desabrigados rezam para que o calendário ande rápido e a temporada das chuvas acabe. A má notícia é que as previsões indicam chuvas fortes em fevereiro e março e até meados de abril. A situação é grave e exige atenção das autoridades e da população.

PERGUNTINHA

Não está na hora de termos todos algumas boas notícias, depois de tantos problemas, corrupção, enchentes, inflação e atraso em obras pelo país inteiro?

Sérgio Pires

SÉRGIO PIRES é jornalista. Iniciou sua carreira no RS no início dos anos 70 e está em Rondônia há 15 anos. Em 2012, completa 40 anos de profissão, sempre atuando na área do jornalismo. Há oito anos, assina a coluna PRIMEIRA MÃO no jornal FOLHA DE RONDÔNIA. Entre suas atividades, destacam-se os dois anos em que foi diretor de comunicação do Governo do Estado. Sérgio Pires também apresenta um programa de Telkeevisão, na TV Candelária/Record há 12 anos. O programa CANDELÁRIA DEBATE vai ao ar aos sábados, via satélite para todo o Estado. Sua coluna PRIMEIRA MÃO é reproduzida em quase três dezenas de sites de notícias do Estado. Contatos: celular: 81 24 24 24 email: ibanezpvh@yahoo.com.br